175 exemplos e recursos para pensar de maneira visual

A preparação de material instrucional leva tempo e consome uma quantidade razoável de recursos. Principalmente quando temos que ministrar aula, sobre um assunto demasiadamente complexo. Nesse caso, sempre temos a possibilidade de usar gráficos e imagens para facilitar a compreensão desses assuntos. Mas, existem regras ou cuidados para elaborar esse material? Existem sim, os cuidados devem estar relacionados à correta interpretação dos gráficos.

Se você sempre teve dúvidas ou dificuldades em elaborar esse tipo de material, para integrar nas suas apresentações em slides, o Blog da professora e escritora Meryl K. Evans, publicou uma generosa lista, com 175 exemplos e recursos, sobre elaboração de gráficos e infográficos para auxiliar o pensamento visual.

Exemplo de gráfico

Isso mesmo! É uma grande quantidade de informação, que pode beneficiar especialmente as pessoas que trabalham especificamente com design instrucional. Não preciso dizer que eu estou vasculhando todo o conteúdo.

Veja uma lista com alguns dos conteúdos disponíveis:

  • Imagens de mapas antigos, da biblioteca do congresso americano
  • Infográficos aplicados na comercialização de projetos arquitetônicos
  • Mapas de cidades históricas, com previsões sobre futuras expansões
  • Ferramentas para gerar gráficos para planilhas e apresentações
  • Mapas mentais para estudantes e professores de medicina
  • Ferramentas para converter dados numéricos em gráficos. Tudo com dicas e procedimentos para gerar gráficos legíveis
  • Exemplos de visualização para informações complexas, como as relações entre pessoas em uma rede social
  • Exemplos de cursos a distância gratuitos, que oferecem grande quantidade de gráficos e elementos visuais para enriquecer o conteúdo
  • Dicas para elaborar apresentações eficientes em PowerPoint
  • Dicas para elaborar infográficos, com base em uma vasta coleção de imagens
  • Apresentação sobre a comunicação por meio de histórias em quadrinhos

A lista é enorme, isso é apenas a ponta do Iceberg. No final ainda existe uma vasta gama de recursos como links para apresentações no Slideshare.net. Mas ainda é possível descobrir algumas pérolas, como um blog especializado em publicar infográficos! Um verdadeiro achado.

Se você trabalha com educação a distância ou é um professor, interessado em desenvolver melhor as suas apresentações com recursos visuais, não pode perder esses links.

Modelo de contrato pedagógico

Trabalhar como professor não é fácil, além de ter que estar sempre pesquisando constantemente para levar os assuntos com a abordagem mais moderna, contextualizada e clara para os alunos, ainda precisamos cuidar da comunicação e dos bons costumes no nosso ambiente de trabalho. Claro que existem várias técnicas para combinar as regras do jogo, com uma sala de aula lotada. A maioria dos professores combina esses termos com os alunos no primeiro dia de aula, mas em pouco tempo os próprios alunos esquecem essas regras e tudo volta à estaca zero.

Um artifício muito utilizado pelos professores, para deixar registrado por escrito o conjunto de regras e conteúdos que devem ser apresentados aos alunos é resumido em um contrato pedagógico.

Contrato pedagógico

Esse contrato nada mais é que um documento, listando os deveres e obrigações dos alunos e do professor também. Junto com essa lista, deve ser apresentado nesse mesmo contrato, um resumo dos assuntos abordados, apenas os principais tópicos são suficientes para elucidar qualquer dúvida em relação ao conteúdo.

Como preparar esse documento?

O processo de preparação desse documento é simples, veja um modelo com os tópicos principais que devem estar presentes no contrato:

  • Direitos e deveres do discente
  • Direitos e deveres do docente
  • Resumo dos assuntos abordados
  • Objetivo da disciplina
  • Penalidades para a quebra de alguma das regras

Não existe regra definida para o que deve ser colocado nos direitos e deveres dos docentes e discentes. Isos varia de acordo com o ponto de vista de cada professor.

Como apresentar aos alunos?

Assim que o documento estiver pronto, você deve citar a existência do mesmo no primeiro dia de aula. Explique que ele fala sobre os deveres e direitos de cada parte. Depois que tudo estiver explicado e esclarecido, passe para os alunos e solicite que cada um deles rubrique o contrato. Isso mesmo! Essa rubrica pode não ter valor jurídico, mas vai passar aos alunos a sensação de compromisso com aquele documento.

Separe uma cópia desse contrato e entregue para o representante de turma, assim todos podem consultar os termos para tirar dúvidas.

Essa é uma solução para evitar problemas com falta de informação, além de proporcionar aos professores uma segurança que ao menos uma boa parte dos alunos, está ciente sobre as regras.

Isso se aplica em EAD?

Ainda estou tentando encontrar uma boa maneira de implementar esse tipo de contrato em cursos a distância, mas não é fácil. Ainda mais se você quiser que os alunos deixem uma rubrica no documento. Para quem tem o modelo de aula inaugural, pode até funcionar, mas cursos totalmente assíncronos, acabam inviabilizando esse modelo.