Moodle ou Blackboard: Quem é melhor?

O Moodle é sem sombra de dúvidas o terror de todos os vendedores de sistemas LMS proprietários, aqui no Brasil e ao redor do mundo. Depois dele, apenas o Sakai gera tanta inquietação entre os revendedores de sistemas LMS. Como é que uma instituição de ensino escolhe um sistema LMS? Quais os parâmetros usados? Na verdade, isso é um assunto um tanto quanto complexo, na maioria dos casos quem faz essa escolha é o setor responsável pela tecnologia da informação na instituição. Então, o setor de ensino em conjunto com os professores não tem nenhuma influencia na escolha.

Quando partimos para mercados mais maduros no chamado e-learning, a competição entre sistemas é mais acirrada ainda. Se você está nessa situação, precisando escolher um sistema LMS, mas está em dúvida, encontrei um ótimo artigo referente à comparação de desempenho entre o Moodle e o Blackboard. Para quem não conhece, o Blackboard é um sistema LMS muito famoso e com grande número de usuários, em universidades americanas. Mas, ele é um sistema pago, e muito bem pago por sinal, o que faz com que o Blackboard seja pouco usado no Brasil.

Blackboard LMS

O experimento descrito no artigo é muito interessante, nele um mesmo grupo de alunos e professores foram submetidos à experiência de usar o Moodle e o Blackboard, para as suas atividades acadêmicas. Apesar de ser datado de 2005, o experimento é muito interessante pela riqueza de detalhes e situações abordadas. Por exemplo, eles abordam no final da pesquisa uma análise da usabilidade da interface e facilidade de interação do sistema como um todo. Tanto do ponto-de-vista do professor como do aluno.

Esse sim é um relatório que pode ser usado como base de comparação, para a escolha de um sistema LMS. Qual o resultado final? Se você não quiser ler o artigo, já posso adiantar que o Moodle teve leve vantagem no final, o que é muito bom, considerando que o seu custo é zero.

Esse é mais um estudo que aponta o Moodle como senda a melhor escolha entre os sistemas LMS. Se eu tivesse que recomendar um LMS, esse seria com certeza o Moodle ou o Sakai. Acho que o mesmo estudo fosse realizado hoje, a vantagem seria maior. Afinal, eles usaram o Moodle 1.5 para a pesquisa, hoje as ferramentas e funcionalidades do sistema estão muito mais aprimoradas.

Atlas de anatomia gratuito para cursos de saúde

O trabalho de pesquisa de um designer instrucional não para nunca, ainda mais quando uma de suas tarefas é realizar pesquisas na internet, procurando pelos melhores recursos para enriquecer cursos a distância. Para variar um dos maiores “clientes” são os cursos de saúde. Ainda é difícil encontrar cursos nessa área oferecidos totalmente a distância, mas na modalidade semipresencial, o número de faculdades e universidades que trabalham com esse tipo de ensino aumenta a cada semestre. O calcanhar de Aquiles desse tipo de curso é o material, que costuma ser mais raro que em outras áreas como humanas e exatas.

Nesse último feriado estava avaliando material para usar em cursos de saúde, na área de anatomia. Os alunos desse tipo de curso acabam usando livros ou esquemas de livros antigos, disponibilizados pelos professores.

Hoje ainda existem atlas interativos sobre anatomia, mas esses são caros e não são todos os alunos que tem condições financeiras para adquirir esse tipo de material.

Foi quando esbarrei por acidente com um web site fantástico sobre o assunto. Ele se chama Visible Body e o sistema disponibiliza uma visualização 3d interativa, extremamente rica do corpo humano. Inclusive é possível escolher filtros na visualização 3d, para que o sistema mostre apenas as veias e artérias ou órgãos internos.

É difícil explicar, o melhor mesmo é visitar o sistema para conferir todo o seu potencial.

Atlas de anatomia gratuito

Esse tipo de recurso pode incrementar em muito as aulas de professores, tanto dos cursos de graduação até professores de biologia do ensino médio. O melhor de tudo é que o sistema é gratuito e pode ser utilizado sem nenhum tipo de restrição. Se você tiver uma smartboard ou quadro interativo na sala de aula, o processo fica ainda mais rico, pois é possível interagir em tempo real com a ilustração durante a aula.

Para usufruir do Visible Body é necessário usar o Internet Explorer e instalar um controle Active X especial, mas não se preocupe, o próprio sistema indica a instalação automaticamente.

Com esse tipo de sistema, qualquer professor pode enriquecer aulas semipresenciais ou presenciais de maneira a deixar o conteúdo claro e interessante. Aproveite enquanto o material é gratuito, tudo indica, pela licença de uso que a empresa pretende comercializar o conteúdo algum dia.

Quero ver os seus alunos não aprenderem anatomia agora!

Glossário: Recurso ou atividade para avaliação?

A diversidade e variedade dos recursos disponibilizados por um bom LMS, como o Moodle, podem ser a salvação de uma estrutura em EAD com pouca interação. Mas pode ter um efeito contrário em professores ou planejadores de disciplinas, que não estejam preparados para trabalhar com tantos recursos. Vamos usar como exemplo o próprio Moodle, que disponibiliza um recurso chamado glossário. Ele pode servir tanto para o professor apresentar conteúdo, ou para que os alunos demonstrem conhecimentos em atividades práticas. O problema é encaixar isso dentro de uma aula.

Glossário

Um glossário pode servir como base de consulta para os alunos, então ele é quase um dicionário. Seria muita pretensão imaginar que os alunos poderiam aprender algum conceito ou assunto complexo, apenas lendo os termos técnicos. A melhor opção é usar o recurso como apoio nesse caso.

No Moodle e em outros sistemas LMS, existe a possibilidade do professor criar um glossário que permita a colaboração dos alunos. Então, com um planejamento prévio, o professor pode elaborar uma atividade, em que os alunos individualmente possam adicionar termos ao glossário. Todas as contribuições dos alunos podem ser avaliadas, inibindo o famoso copiar e colar.

O ideal para que tudo fique bem organizado é que você faça um planejamento prévio antes de implementar a atividade. Eu já fiz isso e o resultado foi ótimo. Veja alguns pontos importantes que devem ser observados no uso desse tipo de recurso:

  • Cada aluno só pode adicionar um número limitado de termos
  • Esse deve ser um trabalho individual
  • Deve haver um período de tempo fixo, para que os termos sejam adicionados ao glossário
  • Sempre crie um glossário separado para essa atividade, nunca misture com o glossário geral da sua disciplina

Tenha cuidado com o prazo, ele é fundamental para o sucesso da atividade. Caso ele não exista, os alunos não ficam estimulados a participar. Com um prazo bem calculado, eles têm tempo de pesquisar e participar.

A melhor parte desse tipo de atividade é que o professor pode começar a fazer um banco de definições, para aproveitamento em futuras disciplinas.

Contextualização em ambientes de educação a distância

Enquanto estou digerindo as novidades do recém lançado Moodle 1.9, resolvi escrever um artigo sobre um tópico que ainda gera polêmica com professores envolvidos na educação a distância. Todos que já colocaram o pé em uma sala de aula, como professor ou aluno, devem saber que uma das melhores técnicas para se ensinar alguma coisa é a contextualização. Qualquer coisa fica mais clara, quando o professor tem aquela história com um caso real, com personagens e pontos de vista diferentes. O aluno consegue se imaginar no lugar das pessoas e analisar a situação, para depois tomar uma decisão.

Lupa

Bem, muito do impacto desse tipo de abordagem está relacionado com a maneira com que o professor narra. Então ai a técnica se mistura com arte, não é todo mundo que sabe contar histórias. Essa semana mesmo estava falando com um professor que é um excelente contador de histórias, mas que estava preocupado com as suas aulas a distância. A dúvida é a mesma que várias pessoas têm como passar essa experiência a distância?

Na verdade a solução é simples, mas esbarra na falta de cultura para internet. Quando ministramos aulas presencias, as histórias e contextualizações que temos não precisam estar escritas. Se conhecermos a história, podemos simplesmente narrar para os alunos.

Mas, quando estamos em ambientes de EAD essa facilidade desaparece. Então temos apenas duas opções:

  • Escrever a história por completo
  • Direcionar os alunos para algum lugar em que a história esteja completa

Todos concordam que a primeira opção é a mais trabalhosa e onerosa em termos financeiros. Mas a segunda opção é a mais fácil e indicada, o problema dela é que não é fácil encontrar textos específicos para os nossos problemas. Principalmente com professores que não tem a cultura de guardar links e endereços interessantes da internet.

O que sempre aconselho aos professores que estão começando a trabalhas com ambientes de EAD, mesmo que para o ensino semipresencial, procure e guarde links interessantes sobre o seu assunto. Se você ainda não tem, crie uma conta no del.icio.us imediatamente e comece a guardar links. Se o conteúdo ou história que pode enriquecer o seu assunto, está publicada em algum lugar na internet, não faz sentido produzir material para isso.

Com uma boa quantidade de links, um professor pode enriquecer qualquer conteúdo ministrado em meios eletrônicos. Intercalados com vídeos ou textos, as aulas podem ser complementadas com links externos para conteúdo produzido por terceiros.

Mas é fundamental que seja criada uma cultura de pesquisa e catalogação de conteúdos interessantes. O quando antes o professor começar a armazenar esses links, maior será a facilidade em produzir aulas a distância.

Moodle 1.9

Se você ou a sua instituição de ensino usa o Moodle, está na hora de começar a planejar uma atualização no sistema. Ontem foi lançado oficialmente o Moodle 1.9, que pelo visto é uma das versões mais estáveis já lançadas desse fantástico CMS. Para quem não conhece, o Moodle é um gerenciador de cursos/disciplinas a distância de código aberto. Ele é diferente dos outros sistemas LMS, pelo fato de ser fortemente embasado no construtivismo social e ser praticamente uma rede social para educação é a escolha de muitas instituições e professores, como plataforma de EAD.

Moodle Logo

A versão 1.9 do Moodle passou por um pente-fino no seu código fonte, para remover qualquer erro ou problema relatado por usuários. Parte dessa limpeza foi originária do concurso chamado Bugathon, que teve como objetivo caçar os erros no código do Moodle.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre essa versão, vamos à lista com as novidades e melhorias dessa versão:

  • Novo sistema de relatórios para notas. O chamado boletim do Moodle foi totalmente reformulado.
  • Melhorias na performance! Se a sua instituição de ensino tem um grande número de alunos, pode se beneficiar dessa melhoria. Segundo o anuncio oficial, o sistema foi otimizado e apresenta um desempenho melhor com grandes quantidades de usuários.
  • Como uma rede social para educação, o Moodle só pecava por não disponibilizar as chamadas tags (etiquetas). Mas agora esse recurso está disponível! Podemos adicionar tags em usuários ou em cursos. Isso facilitará o processo de comunicação dentro do sistema.
  • Questionários melhorados e agora podem ter as suas perguntas compartilhadas com todos os outros cursos e categorias.
  • Anotações sobre usuários: Um sistema melhorado de anotações sobre usuários foi implementado, permitindo que um professor possa fazer anotações individuais sobre um usuário, no seu perfil.
  • Edição em massa de usuários: Esse novo sistema permite que um administrador possa fazer operações em massa, como excluir múltiplos usuários diretamente da interface do Moodle.
  • Temas com bordas redondas: Para se adequar, mesmo que de maneira tardia, o Moodle agora aceita bordas arredondadas nos seus temas.

Gostou das novidades? Ainda é cedo para dizer se todas funcionam de maneira correta, mas posso dizer que fiquei empolgado com o lançamento e as novas ferramentas. Estou fazendo o download agora mesmo, para atualizar os meus sistemas de ensino.

Para saber mais sobre as novidades do Moodle 1.9, visite esse endereço e para fazer o download, visite o web site oficial do Moodle.