Competências necessárias para usar tecnologia em sala de aula

Quais as competências e conhecimentos necessários para usar tecnologia (internet), em sala de aula? Se você é professor ou professora, já deve ter se perguntado isso. Se você já usou alguma ferramenta como o Google Earth nas suas aulas, deve estar se perguntando como melhorar? E para quem nunca teve essa oportunidade, deve estar mais “perdido” ainda, sem saber como começar.

Essa é uma das perguntas que me fazem com freqüência, professores querendo usar internet e tecnologia como apoio nas suas aulas, mas sem saber como fazer para implementar os recursos e organizar o seu plano de ensino. Até pouco tempo atrás, bastava saber montar as aulas no PowerPoint que era suficiente, mas hoje a demanda está muito maior!

pilotexhibition

Então, compilei uma pequena lista com os recursos que devem ser evidenciados no seu estudo:

  • Usar de maneira eficiente uma ferramenta de busca: Quando você precisa pesquisar material para aulas, muito provavelmente deve recorrer ao Google. Saiba que a busca no Google, pode ser melhor executada com o uso de operadores de pesquisa, que filtram de maneira surpreendente os resultados e podem trazer conteúdo interessante para as suas aulas. Qualquer professor que precise preparar material para aulas, deveria conhecer e aplicar esses operadores, na busca por material para ilustrar e enriquecer suas aulas. Além disso, existem opções como o próprio Google Acadêmico.
  • Conhecer e usar redes sociais: As redes sociais podem trazer ainda mais conteúdo para quem precisa estar sempre pesquisando. Redes como o del.icio.us permitem que você pesquise pelos favoritos que outros usuários com interesses semelhantes aos seus, salvaram e acham importante. Esse tipo de pesquisa trás resultados diferentes da pesquisa do Google. Ainda temos uma infinidade de redes, que já foram abordadas aqui no Blog como o SlideShare e teacherTube.
  • Saber como funcionam Blogs e Wikis: Os responsáveis por boa parte do conhecimento gerado no meio acadêmico são professores e pesquisadores que publicam comentários e atualizações sobre suas pesquisas, nas mais variadas áreas em Wikis e Blogs. Um professor que queira usar internet como apoio, deve saber como usar esses sistemas em proveito das suas aulas, quem sabe até usar ele como ponte para trazer o pesquisador para a sua sala de aula, mesmo que de maneira virtual.
  • Conhecer e usar RSS: O RSS é uma ferramenta extremamente poderosa para quem gera conteúdo! Os professores que usam com eficiência esse recurso podem acompanhar atualizações em web sites de maneira automática. Assim você estará sempre atualizado nos assuntos relacionados a sua aula.
  • Saber como funciona e internet: Não leve essa recomendação ao pé da letra, você não precisa conhecer os protocolos de transmissão de dados, mas sim a maneira como as coisas acontecem na internet e como ela revoluciona a educação. Por exemplo, saber o que são os sistemas LMS como o Moodle, podem evitar que você seja surpreendido quando a sua instituição de ensino comece a usar ensino semipresencial. Muitos docentes ainda ficam distantes do computador como ferramenta de estudo, se limitando apenas a usar o e-mail. Se esse é o seu caso, mude a sua mentalidade o mais rápido possível!

Bem, acho que isso resume bem as competências e conhecimentos necessários para os professores que queiram usar tecnologia como apoio em suas aulas. Repare que as recomendações levam para a criação do ambiente pessoal de aprendizagem, que já havia sido comentado aqui no Blog.

Pronto! Agora você já sabe por onde começar. Agora é só colocar a mão na massa e adaptar o seu plano de ensino, para usar tecnologia.

Lembre que o número de alunos que usa internet, pelo menos para entretenimento está crescendo. O avanço da economia está fazendo com que cada vez mais pessoas comprem seu primeiro computador. Em pouco tempo, isso será sentido em sala de aula. Basta um professor começar a usar internet como apoio, que os alunos começam a perguntar para os outros professores “Por que sua aula não está na internet também?”. Qual será a resposta do professor?

Importância do Ambiente pessoal de aprendizagem para o EAD

Qual o grande problema na elaboração de qualquer iniciativa de educação a distância, sob a ótica dos professores? Na verdade são dois os problemas para os docentes envolvidos com EAD, que são respectivamente a metodologia e a produção de material. O primeiro problema pode ser resolvido com cursos e treinamentos, mas o segundo só com muito trabalho e pesquisa. Esse é o gargalo de várias instituições que usam EAD, a produção de material. Quando o prazo está quase se esgotando, a única solução é recorrer às empresas que produzem conteúdo para EAD.

Essa é uma solução que desagrada à maioria dos professores. Os docentes gostam de colocar um toque pessoal nas suas aulas, coisa que é impraticável com esses pacotes de conteúdo pronto. Como resolver esse tipo de coisa? Um ambiente pessoal de aprendizagem pode ajudar a solucionar esses problemas.

Studying (cram time)

Antes de mais nada, o que é um ambiente pessoal de aprendizagem? Ele é um conjunto de ferramentas e recursos da internet, como Blogs, Fóruns, Wikis, redes sociais e outros sistemas que permitem ao usuário ou professor acompanhar pequenas atualizações diárias sobre a sua área de interesse. Tudo isso gira em torno do RSS, que é a ferramenta principal de acompanhamento de notícias e atualizações desses recursos.

Por exemplo, um professor que ministra aulas sobre administração e negócios, deve pesquisar por blogs de pessoas que escrevam artigos sobre seus respectivos assuntos, Wikis de empresas e principalmente ficar atento nos favoritos salvos em redes sociais como o del.icio.us. Com o tempo, esse mesmo professor pode ir armazenando links e artigos para usar nas suas aulas. O segredo e poder do ambiente pessoal de aprendizagem está no longo prazo.

Quando esse mesmo professor precisar montar uma aula a distância, usando apenas recursos existentes na internet, ele tem uma gama de links e artigos suficientes para compor as suas aulas. O seu único trabalho será elaborar os textos de orientação para seus alunos.

Todo professor que trabalha com sistemas informatizados de ensino, deveria se preocupar o quanto antes em montar o seu ambiente pessoal de aprendizagem, para agregar o máximo de links e recursos possível para as suas aulas. Os benefícios para a pesquisa científica também são evidentes, com mais opções para referenciar textos e artigos.

Como diz Friedman, no seu livro O Mundo é Plano, estamos hoje na era da globalização em que o indivíduo é a peça chave. Use a colaboração online a seu favor na educação, assim você estará ao mesmo tempo facilitando a sua vida e formando os seus alunos em um ambiente totalmente embasado em tecnologia.

Criando questionários e avaliações com o Zoho Challenge

Uma das ferramentas que mais faz sucesso entre professores que tem os primeiros contatos com o Moodle ou sistemas LMS são os questionários. A possibilidade de montar questionários e exercícios, que se corrigem automaticamente é tentadora, para professores que ministram aulas para um grande número de alunos. Claro que quem tem a disposição um sistema LMS, não precisa se preocupar com a implementação ou configuração das perguntas, pois o sistema já faz tudo para você. Mas e que não tem? Se você é professor de uma instituição que não usa um sistema LMS ainda, mas quer aplicar questionários online, existe solução?

Sim! A ótima plataforma de aplicativos gratuitos Zoho, disponibiliza o Zoho Challenge que é destinado a elaboração e compartilhamento de questionários e testes online.

Antes de mais nada, para acessar o sistema é preciso ser cadastrado no Zoho para cadastrar perguntas e criar questionários. Tudo é gratuito, portanto não se preocupe com o cadastro. Para quem quiser apenas testar o Zoho Challenge, escolha a opção Direct Login, mas todas as perguntas cadastradas podem se peder.

Depois que você tiver realizado o seu cadastro no sistema, será possível começar a criar questionários e um banco de perguntas.

Ao criar perguntas é possível escolher entre múltipla escolha e respostas dissertativas, claro que as respostas dissertativas não são de correção automática. As perguntas ainda podem ser agrupadas em categorias, para que seja fácil localizar as questões no futuro. Como adicional ao questionário podemos limitar o tempo que o aluno tem para responder as perguntas, de maneira semelhante ao que acontece no Moodle.

No final, ainda é possível visualizar os resultados de maneiras diferentes para conveniência do professor. Por exemplo, ele pode consultar um gráfico com o desempenho dos alunos e conferir a performance de cada um nos questionários.

De maneira geral o Zoho Challenge é uma excelente opção para professores que estão instituições de ensino que ainda não aderiram a um sistema LMS, mas gostariam de usar a internet como apoio. Mesmo aqueles que já usam sistemas como o Moodle, podem se beneficiar do Challenge.

Eu já estou usando!

Opção para disponibilizar apostilas e manuais em cursos a distância

Todos os cursos a distância precisam disponibilizar para os seus participantes, algum tipo de manual ou apostila. Apesar de aparecer uma atividade simples, a disponibilização desse tipo de recurso gera um pouco de transtornos para os alunos, principalmente aqueles avessos a instalações de softwares e ferramentas adicionais nos seus computadores, apenas para ler material. O que geralmente faço é gerar as apostilas no formato PDF, que é amplamente utilizado e praticamente qualquer usuário com um mínimo de experiência na internet consegue utilizar. Qual o problema com isso? Assim como qualquer tipo de trabalho que envolva pessoas, não podemos considerar que as pessoas tenham algum tipo de experiência pronta na internet.

Assim, já tive que ajudar pessoas a instalar softwares apenas para ler e consultar arquivos PDF. Algumas pessoas até acharam ruim, que precisaram fazer o download de instaladores com 10-20 MB para ler o arquivo.

Qual a solução? Para resolver esse tipo de problema, o texto poderia ser disponibilizado de duas maneiras:

  • Diretamente no Moodle, como uma página Web
  • No navegador, totalmente formatado para impressão

A primeira opção é interessante, mas não contempla o principal desejo dos usuários de cursos a distância. Apesar de participar de um curso pela internet, eles ainda desejam material para impressão. A página Web do Moodle não é preparada para isso.

Se você está em situação parecida, encontrei um excelente recurso para disponibilizar material de aulas em formato próprio para impressão, diretamente no navegador. O sistema chamado Issuu permite que um usuário do sistema, envie um arquivo PDF que é convertido automaticamente para o formato do Flash Player.

Assim fica mais fácil para que os alunos possam consultar os materiais disponíveis nos cursos. O Flash Player é encontrado na maioria dos computadores e como ele funciona como um plugin, ficam mais simples a sua atualização e utilização no navegador dos usuários. Alguns deles sequer percebem que estão usando o Player.

Só existe um ponto negativo em relação ao sistema, qualquer pessoa tem acesso ao seu material de consulta, caso ele esteja no Issuu.

Mesmo com esse ponto negativo, ele pode servir como base para lançamento de apostilas e pequenos manuais introdutórios. Sem mencionar o grande número de revistas e publicações existentes no sistema, que também podem ser utilizadas como base de pesquisa para professores e designers instrucionais. Principalmente professores das áreas de arquitetura, design, publicidade e jornalismo.

Guia de pronúncia para estudo de línguas

Parece que junto comas ferramentas direcionadas ao estudo de assuntos relacionados à informática, o estudo de línguas é que o mais oferece opções na internet, para pessoas que precisam estudar ou conhecer outros idiomas. A leitura de textos em outras línguas é até fácil, com um pouco de prática e um dicionário podemos identificar os padrões e começar a ler, mesmo que de maneira rudimentar. Mas para falar e começar uma conversação é mais complicado, a pronuncia de alguns fonemas é completamente diferente em outras línguas e culturas.

Para ajudar os estudantes de línguas, descobri uma rede social interessante que promete oferecer a pronuncia de palavras em vários idiomas diferentes. O sistema se chama Forvo, mesmo ainda estando em fase beta, ele já oferece uma base de palavras e pronuncias razoavelmente grande.

Dicionários

Por exemplo, para quem está estudando alemão, pode entrar no sistema e procurar a pronuncia da palavra Sauerbraten, que para os Brasileiros é incrivelmente fácil de pronunciar. Deixando a brincadeira de lado, com esse sistema é possível aprender a pronuncia de palavras nas seguintes línguas:

  • Inglês
  • Espanhol
  • Alemão
  • Árabe
  • Italiano
  • Francês
  • Holandês
  • Grego
  • Japonês
  • Coreano

Essa é apenas uma pequena amostra da base de pronúncias do sistema, ainda existe muito mais. Para quem não faz idéia, sobre qual é a palavra que você está procurando, ainda é possível fazer pesquisas ou usar as categorias do sistema, que ajudam a organizar as palavras por assunto. Por exemplo, quando acessamos a categoria cidades, temos uma lista com a pronúncia das cidades mais importantes do mundo nas mais variadas línguas.

Além das palavras ainda é possível pesquisar pela pronúncia de acrônimos, como siglas e palavras abreviadas. Quem trabalha muito com isso, deveria consultar a pronuncia correta dessas palavras para evitar constrangimentos em reuniões ou conversas com estrangeiros.

Como o Forvo é uma rede social, qualquer pessoa pode participar adicionando novas palavras para enriquecer a base de pronúncias. Se você é estudante de idiomas ou professor, pode usar o sistema de maneira gratuita para enriquecer as suas aulas.