Cursos de tecnologia? São realmente bons? Qual a diferença para um bacharelado?

Uma coisa que várias pessoas me perguntam é se, os chamados cursos de tecnologia são realmente bons? Você provavelmente já deve ter visto esse termo em algum lugar, são aqueles cursos chamados de curta duração. Qual a diferença entre esse tipo de curso e os cursos tradicionais de bacharelado e licenciatura? Fora o tempo de duração de cada um, que em alguns casos pode chegar a até 4 semestres em algumas áreas, isso mesmo, em apenas 2 anos você estaria com uma formação superior.

Como esses cursos conseguem ser tão curtos? Não vou entrar em detalhes mais técnicos, como os princípios pedagógicos envolvidos na concepção do curso.

Diplomas

Para entender melhor as características dos cursos de tecnologia e os de bacharelado:

  • Bacharelado: Tipo de curso em que são abordados vários assuntos de uma determinada área, com um nível de profundidade menor. Assim o estudante terá uma visão maior de um todo, podendo partir para uma especialização depois que terminar o curso. Esses cursos duram no mínimo 4 anos.
  • Tecnologia: Nesse curso temos uma abordagem mais centralizada em um determinado assunto, assim o tempo necessário para o término do curso é menor. Com uma quantidade menor de assuntos e áreas para estudar, o conteúdo abordado no curso é visto com maior grau de profundidade. Existem algumas áreas que oferecem cursos de tecnologia com duração mínima de 2 anos.

Agora que você já sabe as características dos dois, já pode escolher com mais facilidade. Se ainda restar algum pingo de dúvida, façamos uma abordagem mais realista. Os cursos de tecnologia são melhores se você pretende uma colocação mais rápida no mercado de trabalho, principalmente no aprendizado de um ofício. Não só pelo tempo mais curto, mas também pela maior profundidade com que os assuntos são abordados.

Caso você pretenda seguir carreira acadêmica ou partir para a área de pesquisa científica, os cursos de bacharelado são melhores. Como eles abrangem uma gama maior de assuntos, deixam o pesquisador com um leque maior de áreas para embasar uma pesquisa.

Essa é a minha opinião sobre os cursos, mas lembre que ambas as categorias são reconhecidas como cursos superiores. Os cursos de tecnologia delegam o grau de tecnólogo para os seus concluintes. Esse tipo de curso é aceito para concursos públicos e apresenta os mesmo benefícios, que um formando de um curso de bacharelado apresenta.

Então agora você já sabe a diferença entre os dois tipos de cursos, podendo optar por um deles de maneira mais fácil.

O segredo para o sucesso em EAD, também está na documentação

Como qualquer projeto que envolve uma grande quantidade de informações e interação com clientes, uma boa dose de planejamento é fundamental para o sucesso de um empreendimento. Com iniciativas voltadas para o ensino a distância não é diferente, sendo em alguns casos até mais importante. Posso dizer isso por experiência própria, já que estou coordenando um curso de informática a distância e também montando os meus próprios cursos no Centro de Computação Gráfica e Design (CCGD).

Documentar os processos é importante em vários aspectos coorporativos, principalmente nas empresas que almejam uma certificação de qualidade padrão ISO. Esse ainda não é o meu caso, mas quem sabe no futuro. Hoje o processo de produção e criação de cursos está bem definido. O primeiro passo, para criar um curso é analisar a viabilidade técnica e financeira para oferecer o referido curso. Por exemplo, caso o treinamento exija a compra de uma ferramenta proprietária, o retorno financeiro oferecido pelo curso será suficiente?
Esse processo deve ser documentado e padronizado, para que todas as análises realizadas sejam aproveitadas na abertura de cursos futuros. Assim os riscos envolvendo a gerência do sistema são minimizados.

Então posso dizer que a documentação dos processos está me ajudando a organizar melhor o sistema de criação e gestão dos cursos sim! Hoje já tenho os processos criados para planejar os cursos, produzir os textos e gravar as aulas. Como a maioria das minhas aulas é em vídeo, então é muito importante criar um pequeno roteiro para as aulas, assim evito que na hora de gravar os vídeos, aconteçam redundâncias ou problemas de dicção. Estou apenas passando um plano de aula presencial, para o ambiente virtual. Outro ponto interessante, os aspectos técnicos do curso também estão documentados, como o formato das aulas, elementos presentes em cada aula e detalhes dos vídeos.
Várias coisas me levaram a perceber a importância de documentar os processos. Nesse semestre tomei conhecimento de uma grande instituição aqui de Recife, que está abrindo um projeto de EAD, voltado para área de tecnologia. Antes de abrir inscrições o projeto ficou em fase de documentação, durantes 6 meses! Com certeza esse será um projeto de sucesso, pelo menos no lado operacional.

Então fica aqui a dica, antes de partir para a prática, coloque tudo no papel. Imagine todas as situações possíveis e imagináveis, crie fluxogramas e escreva o máximo que puder. Assim você estará dando um passo enorme em busca da qualidade.

Só não deixe de seguir o que está escrito depois! 😉

Como criar um curso?

O processo de criação para qualquer tipo de curso é semelhante, pelo menos se o objetivo é que esse curso tenha um objetivo específico. A minha experiência é maior com educação profissional, na qual já produzi uma série de cursos. Desde cursos rápidos de extensão, cursos técnicos e recentemente um curso superior de tecnologia em design gráfico.
Cada curso tem aspectos bem diferentes na hora da sua concepção, como as cargas horárias mínimas exigidas para os cursos de tecnologia ou da secretaria estadual de educação, nos cursos técnicos. Aqui no meu estado (PE), o tempo é fator fundamental de acordo com cada tipo de curso. Por exemplo, para os cursos técnicos a carga horária total mínima é de 1035 horas para cursos de informática no meu estado.
Já o curso superior de tecnologia do qual elaborei o projeto, exige 1600 horas pela legislação vigente. Isso pode variar de acordo com a área escolhida para o curso.
Os principais pontos a observar na hora de elaborar um curso são os seguintes:

  • Objetivo
  • Público
  • Tipo
  • Duração
  • Conteúdo programático
  • Material de apoio
  • Metodologia de avaliação e acompanhamento
  • Corpo docente e gestão do curso
  • Periodicidade das atualizações

Assim que todos esses itens estiverem definidos, será possível dizer que o seu curso está bem estruturado. Seja ele de extensão, técnico ou superior. Caso você nunca precise elaborar um curso, esse modelo pode ser utilizado para verificar a qualidade de um curso, junto a uma instituição de ensino.
Da próxima vez que você for fazer um curso, cobre esses itens! Caso algum deles não esteja bem definido, então o curso pode não ser tão bom assim.