Novos projetos e opções para cursos a distância no Moodle

Assim como acontece em todos os anos no início do verão do hemisfério norte, o Google começa a organizar o seu Google Summer of Code, que propõe a vários universitários de instituições de ensino superior, a participação em projetos de software aberto. Por exemplo, um estudante que esteja com tempo livre e queira participar do desenvolvimento desses softwares ou sistemas, pode receber financiamento em dinheiro para dedicar tempo e criar novas funcionalidades para esses sistemas. Todos os anos o Moodle e outros sistemas especializados em educação acabam recebendo parte desse financiamento, e tem um grande avanço na criação de funcionalidades e opções para seus usuários.

Quais os projetos e funcionalidades que devem ser adicionadas, ou ao menos propostas, para o Moodle esse ano?

Abaixo está à lista de propostas para novas funcionalidades para o Moodle, a lista original pode ser encontrada aqui.

  • Possibilidade de criar relatórios de participação personalizados
  • Gravação de áudio para reutilização em cursos no formato síncrono
  • Integração com o Google Gears (para usar o Moodle sem estar conectado a internet)
  • Exportar os dados da configuração do Moodle no formato XML, para reutilização em outros portais
  • Sistema de estatísticas e relatórios baseados em Flash, para prover maior interação visual nos relatórios
  • Ferramenta de desenho integrada ao editor de textos
  • Opção de formatar um curso no estilo de um blog

Entre todas essas opções, duas delas me chamaram a atenção e acredito que sejam as que mais tendem a contribuir, ao menos são visíveis para os alunos.

A primeira é a possibilidade de gravar arquivos de áudio no próprio Moodle, que vai permitir que os professores e tutores ofereçam cursos e material síncrono, e até mesmo façam prova oral a distância com seus alunos! Esse tipo de opção já existe no Moodle, você encontra um módulo dela no Moodle Playpen, ainda em fase experimental.

A outra opção é a formatação dos cursos em formato de blog, que deve ser mais agradável em relação ao que os alunos estão acostumados a encontrar na própria internet. O uso de blogs é muito comum hoje em vários projetos, o que deve minimizar os impactos para as pessoas que nunca usaram sistemas educacionais.

As propostas não garantem que os projetos sejam executados e finalizados, tudo ainda vai depender de algum estudante que queira assumir os projetos.

Só nos resta aguardar e torcer.

O modelo ADDIE começa a mostrar sinais de defasagem

O design instrucional é uma área do conhecimento relativamente nova com menos de 100 anos de existência, e desde que os recentes avanços nos meios de comunicação tomaram conta do cenário educacional e das nossas vidas, desde meados da década de noventa, muita coisa mudou. O design instrucional precisa se reciclar e mostrar um pouco de adaptação as novas metodologias e problemas do mundo contemporâneo. Um dos tópicos para o qual o design instrucional não se adaptou muito bem, foi para um novo paradigma em aprendizagem que é chamado de aprendizado informal. Esse tipo de aprendizado é muito embasado pelos ambientes pessoais de aprendizado, conhecidos pela sigla PLE em inglês.

Qual é o mote principal do ambiente pessoal de aprendizagem? A pessoa que está aprendendo ou estudando, o faz por motivação própria e não por uma imposição. No design instrucional encontramos vários modelos para a criação e projeto de material educacional, sendo o mais famoso desses modelos o ADDIE (Análise, Design, Desenvolvimento, Implementação e Avaliação). O fator motivação não é lavado em consideração pelo modelo e deve ser fator fundamental no design de qualquer tipo de projeto.

design approach

No passado os treinamentos e conteúdos educacionais eram impostos as pessoas que precisavam do conteúdo, quase como uma imposição. Mas, hoje o aprendizado informal tem se mostrado mais eficiente em termos de resultado e também na otimização do tempo. Em momento algum o design instrucional se preocupa com o ambiente ou situação em que o aluno será envolvido pelo conteúdo. Qual o motivo que impede uma pessoa de estudar no seu próprio local de trabalho, aos poucos e de maneira informal? Usando exemplos e material preparado para contextualizar o aprendizado com a sua realidade?

Portanto, fica o desafio para quem trabalha com design instrucional que é adicionar o fator motivação aos cursos e treinamentos. Como é possível trabalhar os modelos mais tradicionais do design instrucional, que já são comprovadamente eficientes, mas que precisam de melhorias e revisão para se adequar as necessidades e características dos profissionais e alunos do século XXI?

Esse é um tipo de desafio que deixa qualquer designer instrucional com grandes problemas, pois esse fator é deveras subjetivo e pode ao mesmo tempo atrapalhar a experiência dos alunos de maneira geral. Mas, a ausência de motivação nos cursos pode ser ainda pior para o projeto como um todo.

Modelos de slides para animação e design aprimorados

Apesar de ser a ferramenta mais usada para elaborar e prover apresentações, o PowerPoint não é muito famoso pela sua flexibilidade em design e opções de animação. Nesses termos, o Keynote da Apple ainda é muito superior e posso falar por experiência própria, pois uso os dois para prover apresentações e desenvolver material educacional. Mas, para tentar diminuir essa distância que separa os atrativos visuais do PowerPoint do Keynote e até mesmo outras ferramentas baseadas em internet, como Slide Rocket, a Microsoft está trabalhando para prover novos modelos de slides com animações e design aprimorados.

Os modelos estão disponíveis no web site da Microsoft dedicado a oferecer material para as pessoas que possuem uma licença original do Office 2007, e apenas as pessoas que possuem o Office 2007 original podem fazer o download do material. Até mesmo os proprietários de versões do Office 2008 para Mac tem dificuldades em fazer o download do material, segundo alguns relatos que encontrei em blogs e fóruns.

Para fazer o download você precisa visitar o link indicado nesse artigo, e estar usando obrigatoriamente o Internet Explorer, pois será necessário instalar um controle Active X no computador, que só funciona no IE. Já tentei fazer o download no Mac usando o Firefox e o download simplesmente não funcionou. Tive que ir até um computador rodando o windows para poder acessar o material.

modelos-slides-powerpoint-2007.gif

Depois que você acessa e consegue fazer o download dos slides é possível aproveitar algumas ótimas idéias de material disponível no web sites, para melhorar em muito a qualidade visual das suas apresentações.

Esses são alguns dos modelos disponíveis para download:

  • Efeitos para imagens estáticas em animações no PowerPoint
  • Efeitos para textos animados em apresentações no PowerPoint
  • Efeitos combinados para textos e imagens em apresentações no PowerPoint
  • Organogramas e hierarquias animadas para apresentações
  • Formas 3d para apresentações
  • Textos em 3d para apresentações
  • Planos de fundo para apresentações no PowerPoint

Entre todos os títulos disponíveis, o que mais me agradou foi o título sobre organogramas e hierarquias animadas. Como sempre estamos falando sobre estruturas relacionadas e tópicos interdependentes, esse tipo de slide que já disponibiliza hierarquias e material próprio para mostrar relações e hierarquias é muito útil.

Lembre que esses modelos de slides ajudam apenas na parte visual da apresentação, você ainda precisa se dedicar a preparação do conteúdo.

Infográfico sobre a crise de crédito

Os infográficos são uma excelente maneira de explicar qualquer tipo de assunto, por mais complexo ou desinteressante que possa parecer a princípio, uma boa organização e conteúdos animados podem fazer a diferença. Podemos usar como exemplo para a elaboração de um bom infográfico usando animação, o infográfico animado publicado por um estudante de animação e mídias digitais americano, sobre o desenrolar e origens da crise econômica. Mesmo que perguntemos para pessoas e estudantes, a maioria deles não sabe ao certo o que é de a origem da crise. Um vídeo com bons gráficos e narração envolvente pode mostrar e explicar para qualquer aluno ao pessoa interessada.

O vídeo pode ser assistido nesse link em alta resolução, ou então aqui mesmo no blog usando o player abaixo. Mesmo estando totalmente narrado e com os textos na língua inglesa, com um pouco de atenção e paciência é possível entender bem o que está sendo explicado.


The Crisis of Credit Visualized from Jonathan Jarvis on Vimeo.

O mais impressionante desse tipo de projeto é que ele é um trabalho acadêmico e não é obra de um profissional especializado em edição de vídeo ou animação. Ainda assim é possível tirar várias lições do ponto de vista do design instrucional, para aprender um pouco mais sobre a produção desse infográfico.

Antes de mais nada é importante citar o valor pedagógico desse tipo de material no apoio a qualquer tipo de explicação. Um professor de geografia ou economia poderia em apenas 11 minutos explicar de maneira rápida e visual a crise econômica usando esse vídeo, mesmo sendo em inglês, o docente poderia acompanhar o vídeo narrando e traduzindo os termos.

Voltando a falar sobre o design instrucional, vamos listar as qualidades que fazem desse um bom exemplo de infográfico:

  • Uso inteligente de conceitos e princípios de animação
  • Uso inteligente de efeitos sonoros para mostrar respostas aos movimentos e interação dos gráficos
  • Imagens e gráficos simples
  • Muita imagem e poucas palavras (esse conceito foi emprestado das apresentações e palestras, mas vale aqui também)
  • Paleta de cores bem definida e persistente
  • Linha de pensamento bem definida
  • Imagens e gráficos contextualizados com a narração

Essas são algumas características que podemos listar sobre o infográfico, que podem ser aproveitados no processo de planejamento de vídeos relacionados a outros temas. De uma maneira ou de outra, fica a dica de um ótimo exemplo de material para aulas.

pptPlex: Um novo paradigma na apresentação de slides no PowerPoint

O processo de criação de apresentações em PowerPoint pode até mudar e evoluir, mas a maneira com que apresentamos e discutimos os slides é a mesma já faz um bom tempo. Esse é um paradigma que é quebrado apenas com o uso de softwares como Flash e outros, que não são amigáveis para pessoas interessadas apenas em elaborar uma boa apresentação. Essa semana descobri uma ferramenta extremamente interessante que promete e realmente quebra o paradigma das apresentações em slides no PowerPoint 2007, chamada de pptPlex. Com o pptPlex podemos adicionar uma interação diferente a nossa apresentação, mostrando para a sua audiência o conjunto total de slides e navegando com o mouse sobre o conteúdo de maneira semelhante ao que acontece com uma página na web.

A melhor maneira de explicar o funcionamento do pptPlex é assistindo um vídeo que demonstram bem o funcionamento desse adendo ao PowerPoint 2007:

No vídeo podemos entender um pouco melhor o funcionamento da ferramenta, que manipula uma apresentação tradicional no PowerPoint e a transforma em um mapa, organizando os slides em categorias e grupos, que podem ser acessados e ampliados na tela a qualquer momento.

A ordem e dinamismo que o pptPlex oferece as apresentações mais simples pode ser um grande trunfo para pessoas com apresentações pobres visualmente, pois as animações e a possibilidade de fazer uma visualização rápida sobre todo o conteúdo dos slides permite que o palestrante ou professor possa explicar melhor, pontos de vista e até mesmo a linha de raciocínio que será desenvolvida ao longo da apresentação.

Para fazer o download do pptPlex é necessário visitar esse endereço, a ferramenta é totalmente gratuita para os usuários que tenham o PowerPoint 2007 e usam o windows xp ou vista. A instalação requer que você tenha o .NET Framework 3.0, mas caso esse componente esteja ausente no seu windows o próprio instalador direciona você até a página de download.

Uma das melhores maneiras de testar a ferramenta é na prática, portanto nos próximos dias pretendo elaborar alguns tutoriais e análises do uso dessa ferramenta em apresentações mesmo. Assim que tiver novidades sobre o pptPlex, publico aqui no blog.