Palestra sobre o Moodle, para instituições de ensino

Os leitores mais antigos aqui do Blog devem ter percebido pelo teor dos artigos que sou defensor do Moodle, como ferramenta principal de instituições de ensino que queiram oferecer módulos educacionais com o uso da internet. O motivo é bem simples, acho que o modelo aberto do Moodle é excelente para que o sistema seja adaptado às particularidades da instituição, e não o contrário, como acontece com algumas ferramentas proprietárias. O Moodle é perfeito? Não, claro que ele não é perfeito, mas acredito que as vantagens e a velocidade com que o Moodle é atualizado, o deixam muito a frente de outros sistemas especializados em educação pela internet.

Interface do Moodle

O que leva uma instituição a escolher ou evitar o Moodle?

Muitas instituições de ensino escolhem o Moodle como sistema, como forma de não gastar com licenças para softwares comerciais. O fato de o Moodle ser distribuído pela licença GPL e não haver nenhuma grande empresa responsável por ele, acaba afastando um pouco as instituições também.

Como não existe nenhuma empresa comercializando o Moodle, a maioria das apresentações do sistema, precisa ser feita por equipes internas da própria instituição. Já ministrei várias palestras e apresentações sobre o Moodle, para representantes de instituições de ensino.

Se você está na mesma situação na sua instituição, precisando fazer uma apresentação do Moodle, deve estar se perguntando; o que é mais importante mostrar?

O caminho certo é se concentrar nas vantagens pedagógicas e ferramentas do sistema. Para ajudar nessa tarefa, elaborei uma pequena lista com um roteiro de uma boa apresentação sobre o Moodle:

  • O que é um sistema de código aberto? Vantagens e desvantagens.
  • O que é o Moodle?
  • Quem cuida do Moodle?
  • Como funciona o Moodle? (Mostrar a experiência de um aluno)
  • Tipos de cursos
  • Ferramentas e recursos para atividades e tarefas
  • Parte administrativa

A maioria das empresas que vende sistemas LMS, se concentra na parte administrativa do sistema, mas nas minhas apresentações percebi que a experiência do aluno é mais importante para a maioria das instituições. Mesmo que a parte administrativa seja sacrificada, o mais importante e que fará o nome da instituição é a experiência do aluno.

Espero que esse roteiro possa ajudar na sua apresentação e se você tiver alguma dúvida sobre a elaboração do material, não deixe de usar o formulário de contato para tirar dúvidas sobre o Moodle.

Recomendação de leitura: Mapas mentais e sua elaboração

De vez em quando falo aqui no blog dos mapas mentais e como eles me ajudam na organização de conteúdos educacionais e no planejamento, de alguns projetos. Tudo o que sei sobre esses mapas mentais, aprendi com pesquisas na internet e analisando outros mapas mentais, produzidos por outras pessoas. Pouco tempo depois que comecei a usar essa incrível técnica de estudo e planejamento, descobri que o autor do conceito por trás dos mapas mentais, Tony Buzan tinha um livro explicando todo o processo.

No mês passado, encontrei o livro para venda pela internet e resolvi comprá-lo para tentar aprender um pouco mais sobre o funcionamento dos mapas mentais e desenvolver melhor os materiais educacionais, em que estou constantemente envolvido.

Livro - Mapas Mentais

Na última semana recebi o livro e em pouco mais de dois dias consegui terminar a leitura. Como sei que muitas pessoas podem ter interesse em saber mais sobre o assunto, resolve escrever uma pequena análise sobre ele.

O livro se chama Mapas Mentais e sua elaboração, que é um ótimo guia para as pessoas que não conhecem os mapas mentais e querem ser apresentados ao seu conceito e funcionamento.

Uma coisa que me chamou a atenção no livro, foi a motivação do autor em estudar e elaborar esse sistema; seus problemas de aprendizado na infância. Isso me chamou a atenção! O motivo é obvio para quem trabalha com educação; a maioria dos professores precisa lidar com graves problemas de aprendizado hoje, em instituições e cursos de todos os níveis. Até mesmo professores de nível universitário, precisam enfrentar problemas de aprendizagem e de interpretação de texto.

Livro - Mapas Mentais

O uso dos mapas mentais como técnica para o aprendizado usa um dos aspectos mais fortes da nossa sociedade, para ajudar na memorização, que é a imagem. Claro que isso não resolve todos os problemas, como a interpretação de texto e ortografia dos alunos, mas serve como incentivo para que eles tenham maior dedicação aos estudos.

O livro é curto, barato e muito bem ilustrado! Como já estamos chegando ao final de mais um ano, esse item muito provavelmente será parte da minha lista de presentes, para todas as pedagogas que trabalham aqui na faculdade. Acredito que o conhecimento desse tipo de técnica é fundamental para todos que trabalham com educação, ou mesmo para quem quiser potencializar o aprendizado, em qualquer nível e assunto.

Qual o veredicto? O livro é mais que recomendado!

O papel da avaliação na aprendizagem baseada em projetos

Quando o projeto de um curso envolve a metodologia de ensino baseada na realização de projetos, o processo de avaliação desses cursos deve ser muito bem planejado. Caso o contrário, o curso acaba se transformando em uma grande narração de histórias. Sim, já vi alguns cursos que eram baseados em projetos em que o professor apenas narrava, como é que os alunos deveriam fazer as tarefas do projeto, sem acrescentar nenhum tipo de conhecimento ao processo. Se os alunos precisassem realizar o mesmo projeto novamente, tudo bem, mas e se os parâmetros e variáveis fossem diferentes; o que fazer?

Estou pesquisando muito sobre esse assunto, pois um dos meus próximos projetos de livro será totalmente baseado em projetos. Por isso, quero me basear em muita informação já existente sobre a metodologia para guiar os leitores pelo processo de maneira eficiente.

Caso você queira acompanhar, esse texto sobre avaliação em ambientes de aprendizagem por projetos é muito bom. Mesmo não sendo direcionado para a criação de material didático, ele está me ajudando a criar algumas diretrizes para a elaboração do livro.

Project Content Overview Diagram

Veja algumas das funções primordiais da avaliação nesse tipo de aprendizado, segundo o artigo:

  • As avaliações e tarefas podem ajudar o professor a desenvolver um melhor relacionamento com os alunos: Isso pode levar a conversas e diálogos mais informais, evitado a aula estilo palestra
  • As tarefas ajudam os alunos, a saber, o quanto aprenderam do conteúdo
  • As atividades ou tarefas podem fazer a ligação entre vários dos conteúdos apresentados na disciplina
  • As tarefas ajudam os alunos a desenvolver seus próprios projetos: O que deve ser um dos objetivos principais da disciplina/curso/material

Agora, quais as qualidades de uma boa avaliação ou tarefa? O artigo lista algumas qualidades, mas vou citar apenas duas delas, que considero as mais importantes, que são a contextualização e o que eles chamam de “mostrar a evolução dos alunos”. Acho que essa parte do exercício é muito importante e aliada a uma boa contextualização, pode mostrar de maneira bem clara o aluno, o quanto ele realmente aprendeu.

Se você pretende começar um projeto usando essa técnica, recomendo muito a leitura. Mesmo que seja por curiosidade!

Dicas de produtividade na criação de Slides em PowerPoint para educação

O uso do Powerpoint como ferramenta base para construção de material educacional, principalmente nos cursos a distância é muito controverso. A maioria das pessoas ainda acha essa à melhor solução, por ser rápida e não envolver grandes investimentos em treinamento e adaptação. Afinal de contas, a grande maioria dos professores conhece, mesmo que superficialmente o funcionamento do Powerpoint. Em minha opinião, usar o Powerpoint como referência em cursos a distância é um grande erro! Até mesmo as famosas apresentações narradas, que são criadas com o uso de softwares como o Camtasia, acaba sendo um dos fatores que fazem os alunos desistirem da aula, antes do seu término.

Esse tipo de apresentação dificilmente supera a dinâmica e apelo de uma aula ou palestra presencial.

Mas, se o seu objetivo é criar apresentações para aulas e palestras presenciais, o Powerpoint ou sistemas online semelhantes, ainda constitui a melhor opção. Se você quiser melhorar a sua produtividade, na criação dessas aulas e apresentações no Powerpoint, encontrei um ótimo artigo escrito por Tom Kuhlmann, o artigo se chama dicas de produtividade para criar apresentações no Powerpoint, para aulas a distância. Sei que isso contradiz um pouco o que acabei de mencionar no primeiro parágrafo, mas é a opinião dele.

Como o artigo está hospedado em um blog que incentiva o uso do Articulate, que é um software de autoria para apresentações e palestras online, baseadas no Powerpoint, acho que ele não pode ser contra o uso de slides em aulas online!

Microsoft Powerpoint 2007

O artigo lista algumas dicas já conhecidas pelo pessoal de design gráfico, acostumado a elaborar material no Corel Draw ou Illustrator, mas pode ser muito útil para professores e palestrantes sem experiência com criação de material visual.

Eu mesmo já uso algumas das dicas que o Tom passou no artigo, devo confessar que as dicas são simples, mas ajudam a acelerar o processo de criação mesmo:

  1. Quando começar a criar uma apresentação no Powerpoint, insira todos os elementos gráficos de uma só vez na apresentação. Você pode perder muito tempo, localizando arquivos e inserindo por demanda as imagens e cliparts
  2. Mantenha as imagens e cliparts sempre ao redor dos slides, para que eles estejam sempre próximos no momento que você precisar deles
  3. Sempre que for necessário realizar alguma edição mais complexa em um elemento, crie um slide “curinga”, para editar esse material mais complicado. Isso é útil na organização das camadas do slide também
  4. Use a opção de “Ocultar Slide” para manter esse slide curinga na apresentação, mas fazer com que ele não seja exibido na apresentação

Esse é um resumo das dicas apresentadas no artigo, recomendo uma visita ao texto original para conhecer mais dicas de produtividade e assistir uma apresentação online do autor.