Como o Moodle pode mudar uma instituição de ensino?

Compartilhe o artigo!

Sempre que uma instituição de ensino opta por fazer a migração para outro sistema LMS, ou até mesmo escolhe usar um sistema LMS pela primeira vez, o departamento de tecnologia dessa instituição e até mesmo o setor acadêmico fica em dúvida, se o sistema escolhido é o correto e mais indicado para as necessidades acadêmicas e técnicas da instituição de ensino. Por isso, sempre é bom ler algum tipo de análise com as experiências e dificuldades enfrentadas por outras instituições, que escolheram adotar sistemas semelhantes. O Moodle é um dos sistemas mais adotados no nosso país, pela sua natureza aberta e por ser de fácil manutenção.

Mas será que vale a pena usar ele? Para tentar elucidar qualquer dúvida sobre o assunto, recomendo a leitura de um artigo publicado em um período sobre tecnologia na educação, que fala sobre as experiências de uma instituição de ensino, dois anos depois de adotar o Moodle como plataforma educacional. O artigo pode ser acessado aqui.

key-to-the-internet-thumb4587821

No texto você pode conferir vários dos desafios enfrentados pela equipe de tecnologia educacional da Royal Roads University, que foi a instituição que migrou seus sistemas de educação a distância para o Moodle.

Alguns tópicos abordados no texto são muito interessantes, principalmente no que diz respeito a migração de material educacional de sistemas antigos para o Moodle. A universidade usava um sistema que não exportava os cursos no formato SCORM, que é a melhor opção para migrar material educacional em sistemas LMS. Por isso, toda a adaptação e redesign dos cursos no Moodle tiveram intervenção manual da equipe, foi trabalho de copiar e colar mesmo. Tudo por deficiências do sistema usado pela universidade e não do Moodle.

Outro fator interessante do sistema, a maioria dos LMS comerciais usa uma seqüência de aulas linear, bem diferente do que o Moodle usa, permitindo que os alunos possam navegar da maneira livro pela disciplina. No texto, a Figura 2 mostra bem a necessidade de mudança na seqüência de aprendizagem dos alunos nos cursos.

Bem, no final do texto a conclusão é que a migração foi positiva e trouxe benefícios diversos para a comunidade acadêmica da universidade, e potencializou melhorias na parte de tecnologia educacional da instituição.

Para quem está fazendo trabalhos acadêmicos, na implementação do Moodle esse texto é fantástico como estudo de caso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *