Dicas para apresentações e palestras: Como fazer certo!

Existem várias maneiras de treinar e melhorar as suas habilidades, como palestrante ou professor, entre elas está à prática da oratória. Mesmo que seja sozinho em casa, em frente a um espelho, qualquer tipo de prática é interessante. Outra opção é assistir ao máximo de palestras e apresentações que você puder. Compare as suas habilidades com as de outras pessoas, veja os erros que eles cometem e destaque as coisas boas. Observar e se espelhar em palestrantes profissionais é uma ótima e barata opção de praticar. Para quem entende um pouco de inglês, o YouTube está cheio de vídeos no melhor estilo auto-ajuda para ensinar e divulgar o trabalho de palestrantes profissionais. Mesmo os vídeos tendo o objetivo claro de vender a palestra do profissional, podemos observar algumas dicas interessantes em alguns deles. Na última semana, encontrei esse ótimo material promocional de um palestrante chamado Douglas Jefferys, que pelo visto é especialista em apresentações. Podemos usar a própria palestra dele como exemplo, ele dosa muito bem o assunto com humor e contextualização. Um dos principais alvos dele, que servem para qualquer cultura, são os políticos que podemos utilizar como pretexto para piadas. Bem, assista a apresentação:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=whTwjG4ZIJg[/youtube]

Os pontos sobre os quais ele aborda estão relacionados mais a oratória do que os slides usados como apoio. Além dos dados apresentados, sobre o medo das pessoas em falar para um público, que é interessante até para mostrar em treinamentos, algumas dicas chamam a atenção:

  • Pausa: Ninguém agüenta uma pessoa que começa a falar e não pára mais. Sempre que for possível, termine de comentar uma sentença ou parte da sua apresentação com uma pausa de alguns segundos. Isso dá tempo para que a platéia ou seus alunos possam refletir e pensar sobre o assunto. Mesmo que seja rápida, essa pausa ajuda muito, posso dizer por experiência própria.
  • Cuidado com gestos: Você deve maneirar na quantidade de gestos utilizados durante as apresentações. Gesticular com os braços não é errado, mas o excesso pode tirar a atenção da sua apresentação. Colocar as mãos nos bolsos também deve ser feito com cuidado, isso pode passar a impressão que você não está à vontade na apresentação.

Apesar de ser curto, o vídeo resume algumas técnicas e habilidades necessárias a qualquer pessoa que precise fazer apresentações. Seja um professor que precise ministrar uma aula, ou um profissional que necessita fazer uma apresentação na empresa.

Estudando inglês com o auxílio de podcasts

Hoje em dia saber inglês não é mais diferencial em currículos, se tornou uma obrigação. Com a facilidade no acesso a informações na internet e redes sociais, uma pessoa interessada m fazer pesquisas apenas na sua língua nativa, fica limitada em conhecimento e pesquisa. Sempre digo e incentivo meus alunos a estudar, ler e praticar a língua, para poder aproveitar com mais eficiência os recursos e possibilidades da internet. Agora, se você quiser praticar conversação na língua inglesa o processo fica um pouco mais complicado. Para ler é necessária apenas uma pessoa, mas para conversar sem interação, fica difícil.

Mas nem tudo está perdido, ainda existem alguns recursos que podem auxiliar o estudo e prática da conversação em língua inglesa. Um dos recursos que mais gosto são os Podcasts sobre a língua inglesa.

Aprendendo inglês

Sou assinante de vários desses programas, que possibilitam escutar conversações e até mesmo simular uma conversa.

Como funciona esse podcast e como ele pode ser usado para estudar? Funciona assim, uma pessoa grava em MP3 uma conversação ou narração. O procedimento é muito semelhante ao que acontece em um programa de rádio. Depois ele publica o conteúdo na internet e permite que pessoas assinem o conteúdo, para ficarem sempre atualizadas.

Se você quiser assinar um desses serviços, recomendo o English as Second Language. Ele é um podcast gratuito que ensina pessoas a falar inglês de forma fácil. Apesar de ser produzido por um americano, que tem uma pronuncia do inglês um pouco mais difícil de entender, o autor toma o cuidado de falar pausadamente, para que não haja dúvida no entendimento.

Para facilitar ainda mais, as pessoas que fizerem o download dos arquivos de áudio, podem acessar a transcrição dos diálogos, para acompanhar a narração com base no texto.

Toda semana existe um novo episódio. Cada episódio é focado em uma situação específica, como os termos usados na internet ou até mesmo como se expressar e tirar dúvidas em inglês? Os autores do Podcast são o doutor Jeff McQuillan e a Dra. Lucy Tse.

O mais interessante é que essa é uma ferramenta do chamado móbile learning, ou o também conhecido m-learning. Como a maioria dos telefones, hoje em dia, reproduz arquivos de áudio, fica muito fácil estudar inglês a qualquer hora e de maneira gratuita.

Projetos para futuras atualizações no Moodle

O Moodle está se preparando para participar mais uma vez do projeto Google Summer of Code, que oferece prêmios em dinheiro para estudantes que tenham interesse em desenvolver projetos para software ou sistemas de código aberto. Está ai uma vantagem competitiva do Moodle em relação a outras plataformas LMS do mercado que ainda funcionam apenas como um repositório de conteúdo. Por exemplo, uma das ultimas novidades do recém lançado Moodle 1.9 foi a possibilidade de atribuir tags, nos perfis dos alunos e professores. Isso fortalece ainda mais a posição do Moodle como rede social para educação.

Ainda existem coisas para melhorar no Moodle? Claro que sim, nenhum sistema é perfeito e muita coisa ainda pode ser implementada no Moodle para oferecer ainda mais ferramentas para professores e alunos. Em minha opinião, uma das coisas que precisam de atenção urgente no Moodle é a integração dele com conteúdo multimídia. Por exemplo, para um professor adicionar um vídeo hospedado no YouTube em uma página Web, como instrução para a página, ele precisa editar o código HTML do mesmo.

Vídeo no Moodle

Qualquer sistema semelhante ao que existe em Blogs, nos quais o professor pode adicionar um vídeo do YouTube, apenas com a utilização do endereço do mesmo, facilitaria muito o trabalho dos professores que não estão interessados em aprender HTML.

Qualquer curso ou disciplina oferecida com tecnologia para EAD, que não aproveite vídeos ou recursos como apresentações no Slideshare está subutilizando a internet como ferramenta educacional.

Sobre essa integração com material multimídia, podemos esperar alguma novidade para os projetos submetidos para o Google Summer of Code do Moodle. Um deles já fala sobre essa integração e quem sabe uma maneira de hospedar e transmitir vídeos por streaming diretamente do Moodle.

Para saber mais sobre os projetos do Moodle, submetidos para o SoC 2008, visite esse endereço.

Outra coisa que poderia deixar o Moodle ainda mais atraente é algum tipo de controle de secretaria. Muitas instituições de ensino precisam de sistemas integrados e infelizmente o Moodle não oferece esse tipo de controle, de maneira nativa.

Por exemplo, como seria a impressão ou emissão de um histórico escolar no Moodle? Já pensou se fosse possível emitir o documento com base nos dados e relatórios de acesso do próprio Moodle? Você pode até pensar, basta contratar uma equipe de desenvolvimento e implementar! Mas nem todas as instituições de ensino têm orçamento e tempo disponível, para investir nesse projeto.

Se eu fosse propor um projeto, esse seria um deles. E você? Caso você tivesse o poder da escolha, quais ferramentas ou funcionalidades seriam propostas para um Moodle 2.0?

Atlas de anatomia gratuito para cursos de saúde

O trabalho de pesquisa de um designer instrucional não para nunca, ainda mais quando uma de suas tarefas é realizar pesquisas na internet, procurando pelos melhores recursos para enriquecer cursos a distância. Para variar um dos maiores “clientes” são os cursos de saúde. Ainda é difícil encontrar cursos nessa área oferecidos totalmente a distância, mas na modalidade semipresencial, o número de faculdades e universidades que trabalham com esse tipo de ensino aumenta a cada semestre. O calcanhar de Aquiles desse tipo de curso é o material, que costuma ser mais raro que em outras áreas como humanas e exatas.

Nesse último feriado estava avaliando material para usar em cursos de saúde, na área de anatomia. Os alunos desse tipo de curso acabam usando livros ou esquemas de livros antigos, disponibilizados pelos professores.

Hoje ainda existem atlas interativos sobre anatomia, mas esses são caros e não são todos os alunos que tem condições financeiras para adquirir esse tipo de material.

Foi quando esbarrei por acidente com um web site fantástico sobre o assunto. Ele se chama Visible Body e o sistema disponibiliza uma visualização 3d interativa, extremamente rica do corpo humano. Inclusive é possível escolher filtros na visualização 3d, para que o sistema mostre apenas as veias e artérias ou órgãos internos.

É difícil explicar, o melhor mesmo é visitar o sistema para conferir todo o seu potencial.

Atlas de anatomia gratuito

Esse tipo de recurso pode incrementar em muito as aulas de professores, tanto dos cursos de graduação até professores de biologia do ensino médio. O melhor de tudo é que o sistema é gratuito e pode ser utilizado sem nenhum tipo de restrição. Se você tiver uma smartboard ou quadro interativo na sala de aula, o processo fica ainda mais rico, pois é possível interagir em tempo real com a ilustração durante a aula.

Para usufruir do Visible Body é necessário usar o Internet Explorer e instalar um controle Active X especial, mas não se preocupe, o próprio sistema indica a instalação automaticamente.

Com esse tipo de sistema, qualquer professor pode enriquecer aulas semipresenciais ou presenciais de maneira a deixar o conteúdo claro e interessante. Aproveite enquanto o material é gratuito, tudo indica, pela licença de uso que a empresa pretende comercializar o conteúdo algum dia.

Quero ver os seus alunos não aprenderem anatomia agora!

PowerPoint: Planos de fundo e imagens para apresentações

Qual o melhor recurso para encontrar planos de fundo e imagens para as nossas apresentações em PowerPoint? Na internet existe vários web sites que oferecem imagens para melhorar e enriquecer as nossas apresentações e aulas. Inclusive eu já indiquei alguns desses recursos aqui no Blog. Mas ainda não falei sobre a possibilidade em usar a colaboração online, para encontrar imagens e gráficos para apresentações. Isso mesmo, você pode usar o trabalho e esforço de artistas ao redor do mundo, que disponibilizam na sua maioria de maneira gratuita imagens e planos de fundo, para apresentações em PowerPoint.

Uma rede social de artistas visuais, chamada Deviantart, agrega conteúdo produzido por vários artistas que desejam compartilhar suas criações. Uma rápida pesquisa por Powerpoint Background, já mostra vários resultados interessantes.

Colaborativo Powerpoint

Claro que nem todas as imagens podem ser aproveitadas para as nossas apresentações, precisamos pesquisar e acompanhar, sempre que possível, as imagens que são adicionadas diariamente no sistema. Uma ótima maneira de sempre estar atualizado em relação às novas imagens que são enviadas é com RSS. Todas as áreas do web site disponibilizam um alimentador RSS para que seja possível acompanhar, todas as imagens que são enviadas para o sistema.

Antes de fazer o download de uma dessas imagens, recomendo que você verifique a licença de uso disponibilizada pelo autor. Todas as imagens do sistema têm a licença definida pelo usuário, alguns deles exibem o seu trabalho no sistema com o objetivo de comercializar a imagem. Outros, a grande maioria, disponibiliza o seu material sob uma licença Creative Commons.

Conferir o tipo de licença é fundamental, para não passar por constrangimentos na hora de usar imagens em apresentações realizadas em congressos ou trabalhos científicos e descobrir que o material usado no trabalho é protegido por direitos autorais, que você não tem.

Se você quiser fazer o download do material, recomendo pesquisar o sistema com as seguintes palavras-chave:

A busca por esses dois termos, mostra imagens que se adaptam perfeitamente a apresentações em slides.

Pronto! Agora você já tem como usar a inteligência coletiva para melhorar as suas aulas, apresentações ou palestras. O único problema é que precisamos pesquisar com freqüência no sistema para encontrar as melhores opções em imagens.