Como criar bons objetivos?

Ontem falei sobre a importância dos objetivos educacionais na elaboração de qualquer curso ou treinamento. Imaginando que a mensagem foi recebida e aceita, agora você deve estar se perguntando; como fazer bons objetivos? Agora é que vem a parte divertida do processo, que é efetivamente pensar nesses objetivos. Como parte do design de qualquer treinamento ou curso, até mesmo de material escrito, você deve se perguntar algumas coisas antes de trabalhar nos objetivos. Isso deve ser trabalhado depois que você tiver definido o público-alvo para o seu treinamento ou curso. Caso contrário o objetivo pode ficar falho.

Objetivos educacionais

Você deve pensar nos seguintes aspectos, antes de definir objetivos:

  • Aprendizagem: Aqui será necessário refletir sobre as necessidades dos alunos, ou o que eles precisam aprender? Qual habilidade cada um deve desenvolver ao longo do curso?
  • Contexto: Aprender uma nova habilidade ou conceito não é suficiente, também é preciso pensar no contexto em que isso será usado. Por exemplo, caso o curso ensine técnicas de gestão empresarial, qual o ambiente e contexto socioeconômico em que isso será usado? Esses conhecimentos devem ser aplicados para reduzir custos? Aumentar a eficiência dos funcionários? Diminuir o tempo de atendimento?
  • Tempo: Qual a restrição de tempo para o curso? Quanto tempo você tem para ministrá-lo? Esse dado é importante e pode forçar uma grande revisão nos objetivos.
  • Avaliação: Aqui precisamos definir o mecanismo que mostra ou prova ao professor que os objetivos foram alcançados. Como esses alunos devem ser avaliados? Usando laboratório? Prova escrita? Modelos de comparação visual?

Depois que você refletir sobre todos esses aspectos, será possível partir para os objetivos gerais do curso. Para facilitar ainda mais a definição dos objetivos, podemos segmentá-los em primários e secundários. Na maioria dos casos, o objetivo primário mostra uma visão geral do curso seguida por um detalhamento maior nos objetivos secundários.

Algumas pessoas usam mais níveis para segmentar os objetivos, mas isso cabe a você definir. Não existe uma regra fixa.

Agora que você já sabe como começar a definir objetivos educacionais, pode preparar melhor os seus treinamentos e cursos. Isso vale também para palestras e apresentações, que podem ser encaradas com pequenos cursos. Ou você acha que as pessoas não aprendem nada com as suas apresentações? Pois talvez seja hora de começar a pensar em agregar valor às apresentações.

A importância dos objetivos na criação de um curso/treinamento

O que é mais importante, na criação de um curso? A maioria das pessoas ainda acha que é a grade curricular, mas na verdade o mais importante são os objetivos. Quando você faz um curso, qual o primeiro aspecto do mesmo, que chama a atenção? Eu sei, a maioria das pessoas olha a grade curricular. Esse mesmo erro é cometido por designers instrucionais, que planejem cursos. O correto é começar pelos objetivos do curso, para poder criar e modelar o conteúdo para atender a demanda, necessidades e expectativas dos alunos.

Até mesmo na hora de encomendar um curso, os objetivos podem fazer a diferença. Por exemplo, imagine que uma empresa precisa fazer um treinamento, para os seus funcionários em planilhas eletrônicas. Para isso, eles contratam um consultor, para elaborar e preparar o curso. Os gerentes querem que todos os funcionários da contabilidade, aprendam a usar planilhas para aumentar a eficiência e controle contábil da empresa. O ganho projetado com o curso é de 20% a mais na eficiência dos processos.

Quando a empresa contrata o curso, acaba passando para o consultor, apenas a necessidade de um curso sobre planilhas eletrônicas. Pois, o consultor fará um curso generalista sobre planilhas. Como não foi traçado um objetivo específico para o curso, os conteúdos passam por várias áreas da ferramenta de planilhas. Mas apenas em alguns pontos, os alunos aprendem as fórmulas sobre controle financeiro.

Objetivos educacionais

Depois que o curso terminar, os funcionários acabam por subutilizar os conhecimentos e a meta não é alcançada.

Assim os gerentes acabam achando que o curso não foi bom, quando na verdade faltou um objetivo. É mais ou menos, como quando é adquirido um novo equipamento. A maioria das pessoas acaba fazendo um curso, ou encomendando um, que ensine como usar o equipamento. Quando na verdade, existe objetivos mais específicos, como aprender a usar a máquina para diminuir as perdas com matéria-prima em 10%.

Tudo isso deve ser contabilizado na hora de criar ou encomendar um curso. Sempre que alguém me encomenda a criação de um curso, a primeira coisa que pergunto; o que os alunos precisam saber ao término do curso? Que habilidades precisam estar desenvolvidas?

Isso é fundamental para o sucesso! Qualquer iniciativa contrária, como por exemplo, começar pela ementa, corre sério risco de fracassar, representando perda de tempo e dinheiro no investimento feito para o treinamento.

Essa dica serve para quem encomenda treinamentos e para alunos. Quando você for se matricular, pergunte a instituição; quais são os objetivos do curso? Qual o perfil do profissional formado? Caso eles não tenham essas informações, pode desconfiar. A falta dessas informações é um ótimo sinal, para descobrir cursos que foram criados sem planejamento, acarretando em possíveis experiências negativas.

Quando um curso não é a solução!

Parte do trabalho de um designer instrucional é decidir as maneiras e a estrutura de um curso, seja ele ministrado de maneira presencial ou à distância. Aqui no Brasil, o termo design instrucional não é muito conhecido, mesmo as pessoas que o conhecem, tem uma percepção equivocada das suas atividades. Caso você trabalhe com educação, pergunte a qualquer pessoa ao seu redor sobre o termo design instrucional. A maioria dirá que não conhece.

Já as pessoas que afirmarem conhecer o termo, devem descrever a atividade como um design gráfico voltado para educação.

Design Instrucional

Na verdade o trabalho desenvolvido por um designer instrucional é mais abrangente. Ele tem como objetivo desenvolver o projetar treinamentos, desde a sua concepção até a execução do curso ou disciplina. Aqui no Brasil, essa tarefa geralmente é delegada a pessoas já formadas na área ou professores. Isso é correto? Difícil dizer, mas que o trabalho de um designer seria importante para a concepção de um curso, isso é indiscutível.

Para explicar melhor, podemos fazer uma analogia. Muito provavelmente você deve conhecer o trabalho de um designer tradicional, que tem como objetivo criar soluções em diversas áreas, criando produtos que facilitem as nossas vidas ou melhorem a usabilidade de objetos já existentes.

Quando um Designer faz um projeto, ele leva em consideração várias coisas como:

  • Usabilidade
  • Estética
  • Funcionalidade
  • Facilidade de uso
  • Público alvo
  • Viabilidade financeira

Claro que existem mais itens, mas isso já passa uma boa idéia de como o trabalho pode ser complexo. Um designer não sabe tudo, sobre todos os ramos de atividade humana, mas mesmo assim ele pesquisa e estuda, para aprender o máximo para os seus projetos. Isso significa que, ao projetar uma embalagem para um lápis, ele considera e pesquisa aspectos sobre embalagem, materiais, morfologia do produto e outros. O mesmo designer pode muito bem, criar o conceito de um carro, desde a parte externa até o interior, para isso ele também pesquisa os materiais, ergonomia e outros aspectos.

Um designer instrucional faz a mesma coisa ao projetar um curso. Ele pesquisa os requisitos, entrevista pessoas, avalia o público alvo e as maneiras com que o curso será ministrado. Nesse processo, ele pode até decidir que um curso não é a melhor solução para a solicitação de um cliente.

Eu já vi isso acontecer, uma empresa precisava de um treinamento e contratou um designer instrucional para elaborar o material. Depois de uma rápida análise e conversa com os integrantes da empresa, o designer sugeriu que os assuntos, abordados no treinamento poderiam ser disponibilizados em formato eletrônico, na rede interna da empresa.

Isso economizaria várias horas de trabalho perdidas, além do investimento em infra-estrutura para as aulas. Mesmo não tendo sido contratado para tal, o designer instrucional encontrou a solução para o problema da empresa, que precisava capacitar os seus funcionários, mas não fazia idéia de como realizar o melhor procedimento.

A intervenção de um designer instrucional, nesse caso foi fundamental para diminuir os custos da empresa. Agora você já tem uma idéia melhor, sobre a importante função que esse profissional pode desempenhar para sua organização.

O problema é que não é fácil encontrar designers instrucionais no mercado, assim como não existem muitos cursos que formam esses profissionais.

Dicionário de palavras para língua inglesa: Acerte o vocabulário!

As pessoas que estudam línguas têm a disposição hoje uma grande quantidade de recursos na internet, para auxiliar nos seus estudos. Se você é estudante ou professore de inglês, deve saber que uma das maiores dificuldades, para qualquer pessoa que estuda e tenta escrever material em língua inglesa é a formação de um bom vocabulário de palavras para escrever corretamente.

Mesmo quem não estuda, mas precisa escrever parágrafos curtos em inglês, está sujeito a erros de ortografia pelo simples fato de não conhecer a grafia correta das palavras. Uma das soluções pata isso é comprar um dicionário, que não é muito prático quando não se conhece a grafia.

Há pouco tempo, descobri um ótimo dicionário online que tem como objetivo principal, facilitar a descoberta da grafia usada em palavras complexas, mas também mostra os seus significados em inglês. Por exemplo, a grafia da palavra assessment é complicada, mas com o dicionário chamado definr, podemos descobrir a grafia de maneira fácil.

À medida que vamos digitando algumas letras no campo de pesquisa, o próprio dicionário mostra as sugestões de possíveis palavras com aquela seqüência de caracteres.

Dicionário Inglês

Assim fica fácil descobrir a grafia da palavra, mesmo que você não conheça como ela é escrita de maneira correta. O importante é ao menos conhecer um mínimo da sua estrutura, mas como a maioria tem uma idéia, ao menos da fonética da palavra, o processo fica mais fácil.

Isso não é tudo, depois que ele mostra como se escreve a palavra, ainda podemos clicar sobre o nome da mesma, para que o dicionário mostre o seu significado. Claro que tudo está em inglês, mas para quem já está estudando e quer usar o dicionário como ferramenta de apoio, isso não será problema.

Dicionário Inglês - Significados

Se você é professor de inglês, não deixe de usar essa incrível ferramenta que não substitui um bom dicionário impresso, mas é de grande utilidade para quem está aprendendo e praticando inglês. Eu mesmo, como escrevo algumas coisas em língua inglesa, utilizo sempre esse dicionário para verificar a grafia de palavras que não conheço, evitando que cometa erros ao escrever textos para Blogs e artigos científicos. Esse merece um bookmark no del.icio.us!

Como planejar as atividades colaborativas em 2008?

Mais um ano está começando e com ele novos desafios e a vontade de inovar, trabalhar mais e concretizar os projetos que você tanto desejou durante 2007, mas não teve oportunidade de executar. Pois bem, agora é o momento perfeito para colocar em prática esse projetos, quaisquer que sejam eles. Mas se o assunto é colaboração online e educação a distância, esses projetos ficam ainda melhores. Eu mesmo tenho vários projetos envolvendo o uso e implementação de Wikis em ambientes corporativos, fomentar o uso de blogs e implementar o Moodle em alguma instituição de ensino.

Você também pode participar desse tipo de iniciativa, propondo no seu ambiente de trabalho o uso de uma Wiki ou Blog. Várias empresas, que usam esse tipo de tecnologia, começaram com iniciativas que vieram de baixo para cima, então não espere que os seus gerentes ou chefes apareçam com esse tipo de projeto. Muito provavelmente eles nem sabem o que é uma Wiki! Se você tem um mínimo de liberdade na sua empresa, comece uma Wiki no Wetpaint (gratuitamente), com coisas simples como documentação de processos.

Projetos colaborativos em 2008

Depois que o material estiver completo, com a integração de todos os funcionários, será hora de chamar o seu chefe ou direção da empresa para apresentar a nova ferramenta. Mas, se você ainda tem receio de fazer algo sem o conhecimento deles, chame o seu chefe para conversar e apresente a proposta. Tenho certeza que ele não vai negar uma experiência.

Para as pessoas envolvidas em treinamentos e educação a distância, quem sabe essa não seja o ano em que você passe a usar um ambiente estruturado e preparado para EAD? Como o Moodle? A oferta de sistemas LMS é enorme, sendo até em algumas ocasiões travada uma verdadeira batalha entre as empresas, que provêem esses sistemas, para conseguir mercado. Claro que nessa batalha, sobram várias críticas para o Moodle, que é gratuito e de código aberto.

Se você quiser realmente promover uma experiência de ensino social, com interação entre os participantes o Moodle é sem dúvida, uma das melhores opções entre os sistemas LMS. Vários desses sistemas comerciais são baseados apenas em tarefas e o Moodle é uma rede social para educação, com as suas bases formadas em torno do construtivismo social.

Tudo isso coloca o Moodle como destaque, como LMS para utilização e realização de iniciativas voltadas a educação.

Com isso, podemos fazer uma breve lista de atividades e projetos que você pode começar em 2008, para efetivamente usar e aplicar colaboração no seu cotidiano:

  • Começar uma Wiki na sua empresa
  • Planejar uma Wiki para uso em sala de aula
  • Alterar os planos de ensino ou treinamento, dos seus cursos para que eles usem colaboração online como recurso de apoio ou principal meio de aprendizagem
  • Implementar o Moodle na sua instituição de ensino ou como projeto independente
  • Use blogs para ajudar os seus funcionários ou alunos a entender melhor as suas mensagens

Essas iniciativas são fundamentais para que você comece e a se inserir nos novos mercados, para melhorar as suas relações com colegas de trabalho, alunos e quaisquer pessoas que necessitem de informações ou conteúdo gerado por você.

O que você está esperando? Coloque já em prática ao menos uma dessas atividades! Garanto que você não vai se arrepender ao final de 2008.

Feliz ano novo a todos.