O modelo ADDIE começa a mostrar sinais de defasagem

O design instrucional é uma área do conhecimento relativamente nova com menos de 100 anos de existência, e desde que os recentes avanços nos meios de comunicação tomaram conta do cenário educacional e das nossas vidas, desde meados da década de noventa, muita coisa mudou. O design instrucional precisa se reciclar e mostrar um pouco de adaptação as novas metodologias e problemas do mundo contemporâneo. Um dos tópicos para o qual o design instrucional não se adaptou muito bem, foi para um novo paradigma em aprendizagem que é chamado de aprendizado informal. Esse tipo de aprendizado é muito embasado pelos ambientes pessoais de aprendizado, conhecidos pela sigla PLE em inglês.

Qual é o mote principal do ambiente pessoal de aprendizagem? A pessoa que está aprendendo ou estudando, o faz por motivação própria e não por uma imposição. No design instrucional encontramos vários modelos para a criação e projeto de material educacional, sendo o mais famoso desses modelos o ADDIE (Análise, Design, Desenvolvimento, Implementação e Avaliação). O fator motivação não é lavado em consideração pelo modelo e deve ser fator fundamental no design de qualquer tipo de projeto.

design approach

No passado os treinamentos e conteúdos educacionais eram impostos as pessoas que precisavam do conteúdo, quase como uma imposição. Mas, hoje o aprendizado informal tem se mostrado mais eficiente em termos de resultado e também na otimização do tempo. Em momento algum o design instrucional se preocupa com o ambiente ou situação em que o aluno será envolvido pelo conteúdo. Qual o motivo que impede uma pessoa de estudar no seu próprio local de trabalho, aos poucos e de maneira informal? Usando exemplos e material preparado para contextualizar o aprendizado com a sua realidade?

Portanto, fica o desafio para quem trabalha com design instrucional que é adicionar o fator motivação aos cursos e treinamentos. Como é possível trabalhar os modelos mais tradicionais do design instrucional, que já são comprovadamente eficientes, mas que precisam de melhorias e revisão para se adequar as necessidades e características dos profissionais e alunos do século XXI?

Esse é um tipo de desafio que deixa qualquer designer instrucional com grandes problemas, pois esse fator é deveras subjetivo e pode ao mesmo tempo atrapalhar a experiência dos alunos de maneira geral. Mas, a ausência de motivação nos cursos pode ser ainda pior para o projeto como um todo.

2 Responses to “O modelo ADDIE começa a mostrar sinais de defasagem”

  1. Olá Paulo
    Nem sabia desta sigla
    Artigos relacionados com interesse
    Até depois

  2. Paulo? Não entendi.

Leave a Reply