O design instrucional no mundo corporativo e esportivo

Um número cada vez maior de empresas está contratando os serviços de designers instrucionais, para melhorar o desempenho dos seus funcionários. Quando alguém começa a trabalhar com educação a distância, acaba ficando bitolado, apenas com instituições de ensino e escolas. Eu sei que esse é um mercado que demanda muito trabalho, mas em algumas situações o nível de exigência não compensa o retorno financeiro.

Mas como os designers instrucionais podem ajudar empresas? Ora, todos precisam passar por treinamentos em diferentes níveis. Algumas empresas, com funcionários de alto nível, precisam passar informações precisas, sobre estratégias e dicas de conduta. Pois um erro desses funcionários pode custar muito dinheiro.

Como é de costume, mercados mais maduros acabam descobrindo os benefícios de usar profissionais, especializados em criar material educacional de ponta, para treinar seus funcionários. Essa semana um blog, sobre educação publicou um artigo interessante, sobre uma vaga de emprego, disponível em uma equipe de futebol americano dos estados unidos. O anúncio deixa bem claro, o cargo deve ser preenchido por um designer instrucional.

Mundo corporativo

Entre os requisitos, um me chamou a atenção. Eles pediam que o designer tivesse a capacidade de falar em público, para um número considerável de pessoas. Essas pessoas, provavelmente são os atletas. O designer nesse caso, não irá substituir o treinador, mas ele vai passar as instruções sobre a estratégia do jogo, de maneira semelhante a uma sala de aula. O treinador faria o papel do professor.

Isso reforça uma crença que tenho sobre a profissão. Assim como os coordenadores de curso, os designers instrucionais precisam de experiência em sala de aula. Esse tipo de experiência pode ajudar muito um designer, a entender as dificuldades que as pessoas têm para aprender. Lidar com pessoas sempre é mais complicado que computadores.

Qual a conclusão para esse artigo? Quando as empresas descobrirem, que com material educacional mais sofisticado, os seus funcionários podem desempenhar melhor as suas funções, o mercado demandará um número considerável de designers instrucionais. Quem sair na frente agora pode sair na frente dessa corrida por projetos e vagas de trabalho. Ainda são poucas as especializações ou cursos que abordam o tema, nesse ponto a experiência pode ajudar a conquistar uma vaga, já que poucos devem apresentar formação específica.

One Response to “O design instrucional no mundo corporativo e esportivo”

  1. Visitei esta página e gostei muito. Estou pensando na idéia de me tornar um design instrucional, contudo acredito no que disse, experiência em sala de aula. Mas devido os critérios do MEC somente quem tem mestrado ou doutorado pode lecionar para terceiro grau, então só tenho experiência com reforço escolar. Mas tenho uma grande bagagem na área de formação (marketing) e fiz um curso online muito bom no GFarias (Moodle para professores). MINHA DÚVIDA: há algum curso de pós que concilie design instrucional com habilitação para terceiro grau (que não seja mestrado ou doutorado)? Acredito que não…mas se souber, agradeço.

Leave a Reply