Ensino por competência na educação a distância

Essa semana estava conversando com um colega professor, sobre como implementar ensino por competências em cursos oferecidos totalmente a distância. Para quem não conhece, essa é uma modalidade de ensino que foca mais no desenvolvimento de competências, relacionadas com atividades práticas, ante ao modelo tradicional em que os alunos precisam apenas acumular conhecimentos. Como costumo dizer aqui no Blog, minha formação não é em pedagogia, mas acabo lidando com esse tipo de assunto e formando a minha própria opinião ao longo do tempo.

Então vamos ao desafio; como implementar o ensino por competências na modalidade a distância? Antes de mais nada precisamos entender alguma características inerentes a esse tipo de ensino:

  • Ele é focado na prática
  • O aluno precisa saber resolver problemas
  • Cada disciplina ou unidade curricular pode desenvolver nos alunos mais de uma competência
  • Essa modalidade é ótima para cursos de tecnologia e técnicos

O maior problema nesse tipo de ensino está na avaliação. Como ela precisa ser na maioria das vezes prática, fazer esse tipo de coisa a distância, pode se transformar facilmente em um grande desafio. Para contornar esses problemas podemos focar em duas metodologias de ensino colaborativo, principalmente se o LMS usado for o Moodle.

  • Ensino baseado na resolução de problemas
  • Ensino baseado em projetos

Entre esses dois modelos, o primeiro tem uma aplicabilidade maior. Como é possível contextualizar as situações em que o aluno irá precisar resolver os problemas propostos, ele acaba desenvolvendo mais as competências. Com o uso das ferramentas de comunicação do Moodle, ainda é possível desenvolver essas atividades de maneira colaborativa, fazendo com que todos os integrantes do curso possam participar.

O uso de projetos pode fazer com que essas mesmas competências sejam consolidadas, na criação de um produto ou projeto maior, envolvendo não apenas um problema isolado, mas uma série de condições e situações próprias da disciplina.

Estrada

Bem, você chegou até esse ponto do texto, mas ainda não sabe direito o que é uma competência? Veja esse exemplo, que sempre utilizo para explicar competências para professores. Imagine que temos uma disciplina com o objetivo de formar professores. Quais são as competências trabalhadas nela?

Essa seria uma lista de competências hipotéticas para a disciplina:

  • Dominar a oratória em sala de aula
  • Escrever de maneira organizada no quadro branco
  • Identificar alunos com dúvidas
  • Esclarecer dúvidas sobre assuntos abordados em sala de aula

Veja que listamos algumas das competências que deveriam ser desenvolvidas nesse curso. O interessante no ensino por competência é que o participante, no caso o aluno é avaliado em cada uma das competências e não na disciplina. Então ele pode muito bem passar em todas, mas ser avaliado de maneira negativa na parte de oratória. Assim o professor precisaria desenvolver mais nesse aluno essa competência especificamente.

Isso acaba gerando um pouco de confusão nos alunos e professores que não estão acostumados com o sistema. Mas para o mercado de trabalho, essa divisão é fantástica. Caso uma empresa precise de um profissional especializado em palestras, a sua avaliação na competência sobre oratória poderia dizer, se ele é ou não um bom orador. O que dificilmente poderia ser dito com uma nota única na disciplina de formação de professores.

Se você quiser saber mais sobre o assunto, recomendo um ótimo texto sobre ensino por competência, na revista Profissão Mestre.

One Response to “Ensino por competência na educação a distância”

  1. A questão da formação integral do professor se torna dificil, a medida em que os sistemas de avaliação em ead, privilegiam ainda a nota pela disciplina e não o todo. Pois se o academico vai mal em conteudos, tem oportunidade de refazer, recupera e vai adiante. Mais a questão da oratoria se torna um obstaculo, pois temos academicos que tem conteudo e não possuem o dominio da fala, do uso de metodos em sala de aula, na minha opinião isso é um grave erro, pq ai o profissional vai pra sala de aula e comete erros cabulosos. Vejo que precisa de mudar alguns objetivos que se pretende com o ensino a distancia voltado pra formação do profissional da educação.

Leave a Reply