Ambientes virtuais e jogos na contextualização do aprendizado

Uma das maneiras mais eficientes para maximizar a experiência educacional é com a contextualização. Quando o educador consegue levar para a realidade dos alunos, qualquer assunto, o tema abordado é assimilado de maneira mais fácil. Isso acaba resultado em uma maior interação, por parte dos alunos e participantes. Nos últimos dias, estava lendo um artigo sobre um encontro realizado na Itália, cujo tema estava relacionado a treinamentos corporativos em empresas européias. Para ser mais exato o tema do encontro era “Training in Action – Innovate to Compete“.

Esse encontro reuniu vários especialistas em educação do mercado Europeu, para discutir e debater assuntos relacionados a treinamentos corporativos. Entre os assuntos dos debates, estão os temas mais importantes para o mercado de [BP]treinamento corporativo[/BP] na Europa. Um desses temas me chamou a atenção, quando citava à utilização de jogos e [BP]ambientes virtuais[/BP] como forma de aprendizagem.

Second Life

Essa seria uma maneira eficiente de unir entretenimento e educação, com ferramentas de simulação e contextualização muito apuradas, sem falar que permite total colaboração entre os participantes.

No congresso foi inclusive levantado um problema educacional (corporativo), pelo qual a Europa irá passar em alguns anos. O problema é que nas próximas Olimpíadas de Londres em 2012, aproximadamente 100.000 pessoas devem estar envolvidas direta e indiretamente na organização. Essas pessoas precisam receber treinamentos para saber lidar com um número considerável de situações. Desde atendimento a turistas, até treinamentos relacionados à segurança. A pergunta era como treinar esse pessoal? Claro que um sistema baseado em ensino a distância é a solução.

Imagine a seguinte situação: O funcionário de uma empresa precisa saber como realizar uma abordagem mais eficiente no processo de vendas ou negociação com um fornecedor. Antes de enviar esse funcionário a campo, ele poderia fazer uma simulação em um ambiente virtual, tentando realizar a venda para outras pessoas ou participantes do ambiente virtual. A utilização de ambientes virtuais para contextualizar treinamentos já é utilizada há alguns anos, mas em setores mais específicos como nos simuladores de vôo, para o treinamento de pilotos.

Hoje em dia os custos de produção para essas simulações estão caindo drasticamente. Assim várias corporações médias já podem investir em treinamentos com a utilização de ambientes virtuais. Uma ótima opção é a utilização de ferramentas livres como o [BP]Blender 3D[/BP].

Um assunto que está muito em evidência hoje em dia é o [BP]Second Life[/BP], que é uma opção para treinamentos virtuais. Pois algumas pessoas já estão começando a utilizar esse ambiente para realizar treinamentos corporativos. Isso mesmo! Treinamentos corporativos no Second Life. Já pensou participar de uma palestra com uma personalidade famosa, online? Ou fazer um treinamento com participantes de todas as filiais da empresa, em várias cidades? As possibilidades são ilimitadas, tudo vai depender de como aplicar os recursos.

Como esse artigo já ficou longo e o assunto é complexo, prometo que nas próximas semanas volto a escrever sobre o assunto. Mas lembre que essa já é uma realidade, quando o assunto é treinamento. Essa virtualização veio para ficar!

Leave a Reply